Rotary RJ Ilha do Governador

O Rotary Faz a Diferença

Ao custo de R$ 1 milhão, Rotary constrói 22 leitos para atender doentes com câncer

A obra concluída possui 800 metros quadrados e levou nove meses para ser entregue. No total foram investidos R$ 1 milhão obtidos através de doações, faltam mais R$ 600 mil para equipar os 22 leitos.

Dentista de formação, mas adotou a carreira de construtor, o empresário Hélio Morales Leal conseguiu fazer milagre construindo 800 metros quadrados de obras ao custo de R$ 1 milhão.

Durante nove meses o empresário Hélio Morales Leal dedicou quatro horas do dia para acompanhar uma obra de alvenaria, construída como qualquer outra. Foram utilizados; tijolos, ferro, areia, cimento, piso, entre outros materiais de construção.

Entretanto essa foi diferente. Além desses materiais foram empregados também; dedicação, carinho, solidariedade e muita boa vontade. Essa soma de produtos e esforços resultaram numa equação de amor e respeito ao próximo que materializou a construção de 10 apartamentos com 22 leitos destinados à ala de internação do setor de oncologia do Hospital Auxiliadora, que atenderá pacientes de Três Lagoas e região do Sistema Único de Saúde (SUS).

A obra teve um orçamento de R$ 1 milhão, investidos na construção de 10 apartamentos, com 22 leitos com estrutura de um hospital de referência.

Por traz desse desafio estava o Rotary Clube Três Lagoas, enquanto Morales seguia na linha de frente. A soma de solidariedade da sociedade mostrou que quando existe boa vontade e determinação é possível ter um resultado positivo.

DESAFIO CUMPRIDO Os esforços do Rotary e a ajuda de benfeitores já beneficiaram a sociedade três-lagoense em outras ocasiões, como a construção da sede da Rede Feminina de Combate ao Câncer, entregue no ano passado.

Agora outro desafio está cumprindo. Com a conclusão da ala de internação, o Rotary Clube Três Lagoas presenteia a população da cidade e região com a conclusão da obra que atenderá o Setor de Oncologia do Hospital Auxiliadora. Para que isso ocorresse foi montada uma comissão e ficou à responsabilidade de Hélio Morales a presidência, que através de parcerias criou uma rede de solidariedade que conseguiu captar recursos na ordem de R$ 1 milhão. Desse montante, R$ 100 mil, foram doados pela Câmara Municipal, enquanto R$ 60 mil provenientes do Motoshow. O saldo restante foi arrecadado por meio de doações de empresários de Três Lagoas e demais instituições.

Para falar sobre o empreendimento, Morales recebeu a reportagem do Perfil News e mostrou os detalhes finais da obra iniciada há nove meses. A construção contou com o trabalho de 15 colaboradores. O que chama a atenção é a dimensão da construção levando em conta o valor gasto. Se fosse comparado ou administrado como uma obra pública a verba ultrapassaria a casa de R$ 2 milhões.

ALA INTERNAÇÃO No total foram construídos dez apartamentos, de um, dois ou três leitos, sala de recuperação, recepção. Juntamente com a estrutura para os profissionais, com posto de enfermagem, sala de médicos, área de serviço e etc. Tudo isso foi edificado em um espaço de 800 metros quadrados. Aproximadamente 95% da utilização dos apartamentos serão para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), em quartos que atendem todas as exigências da Vigilância Sanitária, e oferecem o máximo de conforto e comodidade. A ala foi edificada para se tornar referência do Setor de oncologia no Mato Grosso do Sul. As instalações são semelhantes, e em alguns casos bem melhores do que muitos hospitais particulares, basta dar uma volta pelo local para confirmar essa realidade. “Tudo que tem de bom em uma Ala de internação de grandes centros e hospitais modelo, terá aqui”, destaca Hélio.

MOTIVAÇÃO Morales explica qual a motivação para realizar esse trabalho filantrópico: “Tenho uma briga pessoal contra essa doença: o câncer levou minha mãe e outros familiares. Então decidi ajudar as pessoas que sofrem também com este problema”. Pelo menos quatro vezes por dia Hélio visitava a obra para acompanhar o andamento da construção. “Dediquei-me a essa construção, não é porque não estou ganhando ou tendo lucros que me dedicarei menos que um trabalho particular”. “Não tem descrição esse sentimento, é uma imensa satisfação pessoal. As pessoas chegam aqui e perguntam como você fez tudo isso, eu respondo – não sei, mas fizemos, porque tudo isso é fruto de cada um que colaborou de alguma forma.” — Hélio Morales - Construtor. O compromisso do Rotary era entregar concluídas as instalações da Ala, porém o construtor afirma que o trabalho agora vai um pouco além. “Nossa missão era entregar o prédio pronto e ele está. Entretanto, agora vem à parte de equipar os quartos, mas o hospital passa por um momento delicado financeiramente, não posso parar aqui. Vou ajudar na aquisição desses equipamentos”, disse. “Felizmente contamos com a colaboração de várias pessoas que ajudaram a erguer esse sonho. Ao contrário, do que muitos pensam tem muita gente querendo ajudar, mas faltam fontes seguras, que as pessoas possam confiar para contribuir”, ressaltou.

DOAÇÕES CONTINUAM O valor estimado para as aquisições dos equipamentos que serão utilizados nos dez quartos construídos é de cerca de R$ 600 mil. O Rotary já está contatando pessoas para levantar essa verba e finalizar o setor de internação da oncologia. Quem quiser ajudar com doações para a compra dos aparelhamentos dos leitos, pode procurar o Rotary Clube Três Lagoas, ou o próprio Hospital Auxiliadora. Para a irmã Dolphina de Jesus Silva, de 83 anos, e 60 deles dedicados ao compromisso com Deus, não há palavras para agradecer. “É uma obra abençoada, esses pacientes merecem esse conforto na hora do tratamento dessa doença tão cruel. O nosso muito obrigado a todos que ajudaram”, ressaltou a irmã.

TRABALHO FILANTRÓPICO Hélio comenta quando vai dar por encerrado seu trabalho à frente da construção da Ala. “Só vou dizer missão cumprida quando ver os primeiros pacientes serem internados”. O construtor disse como é a sensação ao ver o trabalho de vários meses virando realidade. “Não tem descrição esse sentimento, é uma imensa satisfação pessoal”. “As pessoas chegam aqui e perguntam como você fez tudo isso, eu respondo – não sei, mas fizemos, porque tudo isso é fruto de cada um que colaborou de alguma forma.” Ele afirma ainda que ainda tem mais uma missão, a ser realizada, será a construção da Rede Feminina Infantil de Combate ao Câncer de Três Lagoas. A fachada da entrada do Instituto do Câncer de Três Lagoas que também foi construída com apoio da sociedade.

 

 Dentista de formação, mas adotou a carreira de construtor, o empresário Hélio Morales Leal conseguiu fazer milagre construindo 800 metros quadrados de obras ao custo de R$ 1 milhão

 

A fachada da entrada do Instituto do Câncer de Três Lagoas que também foi construída com apoio da sociedade e inaugurada na terça-feira passada

 Até um jardim ornamentada com orquídeas e banquinhos ajudam a dar um clima mais harmonioso ao local

Um dos quartos na ala Laura Vicunha, que atende convênio e particular serviu de modelo para a construção dos apartamentos

Junto com Hélio Morales, a irmã Dolphina de Jesus Silva, de 83 anos, e 60 deles dedicados ao compromisso com Deus, como ela se auto define sua atuação no hospital

Além do Motoshow, evento como o Espeto Solidário, promovido pelo Rotary ocorrido em Fevereiro desta ano conseguiu arrecadar recursos para a construção. Na ocasião as irmãs do hospital foram ao Arena Mix prestigiar o evento e foram recebidos por Hélio Morales e Antonio Carlos

Empresário e odontólogo, porém a atual profissão que tem como “Hobby” é supervisionar obras, assim é a rotina de Hélio Morales que acompanha mais uma obra edificada no hospital

Outro jardim construído no centro da ala de apartamentos deixa o local com um aspecto mais agradável

 

Fonte: Perfil News - 23/06/2016 Fotos: Ricardo Ojeda

Enviado por Luiz Carlos em Sex, 01/07/2016 - 18:47 , em