Rotary RJ Ilha do Governador

Rotary a Serviço da Humanidade

Sérgio Fabri, um mineiro de alma insulana

Transcrevendo do JB Ilha, edição de setembro de 2014.

Uma justa homenagem ao grande rotariano do Rotary RJ Ilha do Governador, Sérgio Fabri.

 

“Quem vive há décadas na Ilha do Governador pode falar com propriedade sobre a região. Mo­rador do bairro há 45 anos, Sérgio Fabri é uma dessas pessoas: ape sar de mineiro da cidade de Mar de Espanha, ele conhece o pas­sado e o presente da Ilha como poucos e vem desempenhado, ao longo do tempo, importantes papéis em áreas distintas, como esportes, educação e cultura.

Atualmente, Sérgio Fabri é Diretor Social da União da Ilha, cuida da manutenção geral da ACM Ilha - tendo sido secretário e vice-presidente da unidade - e já foi presidente por dois perídos do Rotary Club ilha do Gover­nador. Em sua vida profissional, ele também traz na bagagem a experiência de ter trabalhado como Secretário Geral do Mobral (Movimento Brasileiro de Alfabetização), um projeto do governo que propunha a alfabetização funcional de jovens e adultos, visando conduzir a pessoa a ad­quirir técnicas de leitura, escrita e cálculo.

"O Mobral era uma ação vo­luntária. Nós captávamos recur­sos, íamos para comunidades, como o Morro do Dendê, e abría­mos salas de aula", explica Fabri, que é formado em administração de empresas.

Mudanças

Quando questionado sobre as mudanças sofridas pela Ilha do Governador ao longo do tempo, Fabri demonstra decepção com a poluição das praias, comenta o que melhorou e o que piorou, e revela o que ainda espera fazer pelo bairro.

"Na Ilha, o que está melhor é a infraestrutura de comércio, mas o transporte e as praias es­tão piores. Eu entrava na água, nas praias da Ilha! Tem a questão da violência que aumentou mui­to e da educação, que caiu muito também. Eu investiria mais em saúde, em transportes e, princi­palmente, nas barcas", relata.

Apesar dos pontos negativos apontados, Fabri revela um ver­dadeiro amor pela Ilha e pelas organizações em que atua.

"Eu sou suspeito para f alar da Ilha. Adoro minha Ilha do Gover­nador, a União da Ilha, a ACM e o Rotary, então eu faço tudo por eles, luto por eles. E tem uma coi­sa pela qual estamos batalhando muito para acontecer, que é a Ca­pela de São Jorge, lá na União da Ilha. Já existe um projeto local, só falta agora a verba."”

Enviado por Luiz Carlos em Qui, 02/10/2014 - 10:46 , em