Rotary RJ Ilha do Governador

O Rotary Faz a Diferença

Uma nova abordagem rotária

Matéria interessante publicada em Notícias do Rotary International, de 20 de janeiro de 2011, sobre a Presidente de um Clube recém fundado, Katie Ischkin, presidente e fundadora do Rotary Club de South Metro Minneapolis Evenings, EUA, enxerga a busca por novos associados e o resultado alcançado por seu Clube.leia a íntegra da matéria, abaixo.

Katie Ischkin, presidente e fundadora do Rotary Club de South Metro Minneapolis Evenings, EUA, acredita em uma nova abordagem para o Rotary. 

Desde junho, quando o clube foi fundado, o quadro associativo aumentou em 25 associados, conseguiram o primeiro Subsídio Equivalente para projeto internacional e participaram de mais de 10 atividades de serviços comunitários. 

Durante uma sessão de treinamento da Assembleia Internacioanal, Ischkin compartilhou suas ideias sobre como atrair jovens profissionais. "Para que o Rotary seja bem-sucedido no futuro, precisamos nos concentrar em criar interesse nos profissionais mais jovens", comentou.

Ischkin recomenda que o quadro associativo e a estrutura do clube sejam abordados de maneiras novas. Como consultora em gerenciamento, ela diz entender que as pessoas têm medo de mudanças, mas salienta que sua estratégia não significa alterar os valores da organização. O que mudaria seriam os elementos mais flexíveis como horários e locais das reuniões, estruturas dos programas, envolvimentos dos associados e formatos das comissões. 

Expectativas de gerenciamento

O clube de Ischkin se reúne no final da tarde, e para economizar, não inclui jantar. Ele também não faz reuniões tradicionais toda semana: a terceira reunião do mês é um evento de network em diferentes locais da cidade, e a quarta reunião, alguma atividade de prestação de serviços.  

Ischkin acrescentou: "Quando estiverem tentando recrutar associados mais jovens ou patrocinar um Rotary Club Novas Gerações, expliquem bem quais são suas expectativas e procurem entender as expectativas dos associados potenciais. É extremamente importante que os dois lados estejam alinhados." 

Mas para a maioria dos clubes, "tudo o que é preciso é ter mente aberta e começar a pensar diferente sobre o futuro do quadro associativo", finalizou. 

Enviado por Luiz Carlos em Sex, 21/01/2011 - 15:05 , em