Rotary RJ Ilha do Governador

Rotary a Serviço da Humanidade

O Primeiro Boletim

Transcrevemos a seguir, do Boletim nº 1, de 5 de janeiro de 1965, o sentimento reinante na época.

“NOSSA PRIMEIRA PALAVRA

Agradecimento a nossos mestres.

Nesta oportunidade em que nos consideramos já no seio da Família Rotária, faz-se necessário um agradecimento que de há muito se abriga em nós e queremos externá-lo.

Em princípio, os ensinamentos que tivemos sobre Rotary que nos levaram a conhecer o seu significado, que nos fizeram sentir a glória de pertencer-lhe.

O acolhimento fraterno dos companheiros de todos os clubes que nos circundam, que lançam sobre nós, novatos em Rotary, seus olhares, quase que de ternura, plenos de satisfação por mais um ramo na árvore frondosa dessa maravilhosa organização.

Estamos felizes de fazermos parte, de sermos mesmo,uma parte de Rotary.

Por isso agradecemos.

Se caçulas o somos, como acima dissemos, isso o devemos ao São Cristóvão que nos fundou.A ele, aos seus homens, hoje nossos companheiros, devemos a nossa existência. Além do nosso agradecimento, externamos-lhe o nosso carinho e como benjamins desta Família Rotária, queremos, perdoem-nos a ênfase, queremos mesmo, o carinho, a compreensão, a ternura e o apoio que sempre nos deram.

Caçulas de hoje, seremos amanhã, os companheiros que vocês esperavam.

Ao nosso companheiro Smolka, palavras seriam desnecessárias, o nosso respeito e admiração dizem bem o que lhe devemos, a nossa consideração diz bem o que queremos, contudo, a expressão que queremos fazê-lo sentir neste “muito obrigado” é a mais sincera quando consideramos o que lhe devemos por quanto o consideramos.

Não poderíamos deixar de especificar os trabalhos dos outros companheiros que também compartilharam do Rotary Club Ilha do Governador.

As aulas do nosso, já tão estimado, companheiro Higino que tão pacientemente nos orientou no “Catecismo” Rotário.

Sua atenção, sua capacidade inata de agradar, sua colaboração toda especial em nos falar.

As ilustrações de nossos companheiros Donato e João Silva nos “ilustraram” mesmo.

Dependemos deles e graças a eles aprendemos.

O nosso agradecimento também aos acompanhantes Duarte e Motta que muito nos apoiaram com sua freqüência assídua às nossas reuniões. O apoio moral é o apoio da verdade.

Grato a todos.

Aos que se fizeram presentes e nos acompanharam nos primeiros passos e aos ausentes que de lá, sentiram os nossos primeiros passos.

O nosso obrigado é sincero. Deixa de ser obrigado comum das coisas da vida e se torna um obrigado sincero, sincero mesmo, de quem dá de si, pleno da honestidade com que é sentido e não só dito e ameno, amomado que é pelo slogan que o Rotary da Ilha do Governador quer fazer sentir o seu valor humano.”

Enviado por Luiz Carlos em Seg, 04/09/2006 - 21:59